Brasil

Jair Bolsonaro anuncia Tereza Cristina como ministra da Agricultura (2)

 

A equipe do jornal tentou entrar contato com o Comando Geral da PM pro telefone, mas, não obtivemos sucesso e a assessoria de comunicação se limitou a dizer que de fato há um problema no abastecimento, contudo, o efetivo policial não está sendo prejudicado nos batalhões.

Segundo a assessoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) a ordem é de 40 litros por viatura e estão sendo liberadas através de um convênio que o Detran possui com a secretaria de segurança por fazerem parte das forças policiais que atuam de forma integrada.

Em toda a capital, há apenas 15 viaturas em patrulhamento. Três em cada um dos cinco batalhões de área. O trabalho está sendo realizado de forma reduzida, atendendo ocorrências de maior importância, já que 40 litros é o que normalmente se utiliza em uma manhã, quando fazem o serviço de patrulhamento normal. Algumas equipes já estão paradas em seus batalhões.

Até o final desta quarta-feira (7), o fornecimento nos postos de combustíveis ainda não havia normalizado

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (7) a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) como ministra da Agricultura. Ela será a segunda mulher a comandar a pasta.

Atual presidente da Frente Parlamentar Agropecuária do Congresso Nacional, conhecida como a bancada ruralista, Tereza Cristina foi indicada pela FPA para o cargo. Ela é engenheira agrônoma e empresária.

O anúncio foi feito após Bolsonaro e o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), se reunirem em Brasília com parlamentares da FPA. O encontro aconteceu no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde funciona o gabinete de transição.

Além de Tereza Cristina e Onyx Lorenzoni, ambos do DEM, outros quatro ministros também já foram anunciados:

Paulo Guedes (Economia);
general Augusto Heleno (Segurança Institucional);
Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública);
Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia).

No Congresso, Tereza Cristina foi uma das principais defensoras do projeto que muda as regras no registro de agrotóxicos.

A futura ministra está no primeiro mandato como deputada e, durante a campanha eleitoral, manifestou apoio à candidatura de Bolsonaro à Presidência.

No Mato Grosso do Sul, ocupou o cargo de gerente-executiva em quatro secretarias: Planejamento, Agricultura, Indústria, Comércio e Turismo.

Também exerceu os cargos de diretora-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e diretora-presidente da Empresa de Gestão de Recursos Minerais.

Filiação ao DEM

Antes de se filiar ao DEM, Tereza Cristina integrava o PSB, partido do qual foi líder na Câmara.

Em abril, foi destituída da direção estadual do PSB após votar a favor da reforma trabalhista proposta pelo presidente Michel Temer, contrariando a orientação da sigla.

Em agosto, voltou a contrariar o PSB ao votar contra o prosseguimento da segunda denúncia contra Temer. Pediu desfiliação do partido antes de ser expulsa pela direção nacional do PSB.

Nota da FPA

Após Bolsonaro anunciar Tereza Cristina como ministra, a Frente Parlamentar Agropecuária divulgou a seguinte nota:

Membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) estiveram reunidos, hoje, com o Presidente da República eleito Jair Bolsonaro.

A bancada, após consenso entre parlamentares e entidades representativas da Agropecuária, sugeriu o nome da deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), presidente de FPA, para o Ministério da Agricultura.

Jair Bolsonaro aceitou a indicação e confirmou o nome da deputada Tereza Cristina para assumir a pasta.

Fonte G1

Follow Us

Subscribe Our Newsletter

Amazing Deals, Updates & Freebies In Your Inbox

Notícias mais lidas

Why Gap is investing in life education
logo

Download Newskit App

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and
typesetting industry.

banner
© 2018 Nativus24horas. Todos os direitos reservados.Diretor Responsável - Lelande Holanda / Email: nativuslive@gmail.com / Fone: (68) 99983-0387 / Nativus

Search