SJ News - шаблон joomla Авто

Categorias pedem mais segurança e alegam uma média de seis assaltos por dia. ‘Queremos polícia nos bairros’, diz sindicato.

A insegurança tem afetado diretamente os mototaxistas e taxistas de Rio Branco. Os casos de assalto são tão constantes que os sindicatos dos Táxis e Mototaxistas (Sindmoto) alegam que não atendem mais alguns bairros por causa das ocorrências de assalto.

 

O presidente dos taxistas, Esperidião Teixeira, diz que seis assaltos são registrados por dia nas categorias e querem se reunir com a Segurança Pública do Acre para pedir mais segurança nos bairros da capital.

 

A reportagem  tentou um posicionamento da Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp-AC) por dois dias, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

 

“A onda de assaltos é absurda, ninguém registra mais queixa. Há bairros como Caladinho, Seis de Agosto, Ramal Bom Jesus, que a gente não vai mais porque é só pra ser assaltado. Esses bairros, infelizmente, vão ficar desabastecidos de táxi. Não é que o passageiro assalte, mas quando você volta da corrida, é abordado e levam tudo nosso”, diz Teixeira.

 

Inclusive, na última sexta-feira (4), o filho do sindicalista, que também é taxista, passou duas horas no porta-malas do carro refém de bandidos após atender uma corrida no bairro Seis de Agosto. De acordo com Teixeira, muitas vezes, os criminosos querem o carro para cometer alguns crimes.

 

“Renderam ele, não machucaram, mas queriam o carro para matar alguém. Isso é o que está acontecendo. Os assaltos são diários e ninguém está atendendo cliente à noite, a não ser que seja um telefone cadastrado que você sabe que é um cliente mesmo”, explica.

 

O pedido das categorias é que seja reforçado o policiamento nos bairros e que também sejam feitas blitz durante a noite. “Alguma coisa precisa ser feita. A cidade está em uma guerra de facções terrível e no meio dessa guerra estão os taxistas, porque a gente transporta sem saber quem é quem. E a saída que temos é recusar algumas corridas mesmo”, destaca.

 

Teixeira explica que as chamadas passam por uma triagem e que as consideradas suspeitas não são feitas pelos taxistas, pois, muitos não querem se arriscar. “Corrida eventual, por exemplo, o cara que quebrou o carro, a gente não atende. A Segurança precisa fazer alguma coisa. Todo dia tem assalto e o mais preocupante é que ninguém está registrando queixa porque não confirma que seja feita justiça”, reclama.

O presidente do Sindicato dos Mototaxistas (Sindimoto), Luiz Araújo, confirma a situação de insegurança e diz que muitos mototaxistas não rodam mais à noite. “Realmente tem bairro que as duas categorias não entram mais, tentam fazer viagem de dia ainda, mas a partir das 18 h não entra. É complicado, estamos clamando por Justiça”, completa.

 

Fonte: G1/AC

Página da Nativus no Facebook

Who's Online

Temos 141 visitantes e Nenhum membro online

Template Settings

Color

For each color, the params below will be given default values
Blue Oranges Red

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Spotlight3

Background Color

Spotlight4

Background Color

Spotlight5

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction